Abib Miguel, ex-diretor-geral da Assembleia Legislativa do Paraná, foi alvo de duas decisões da Justiça na mesma semana, uma o mandou de volta para a prisão, em caráter preventivo, pelo corte de madeira em áreas embargadas, e a outra o condenou por peculato, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.
No último dia 16 de novembro saiu a sentença da 9.ª Vara Criminal de Curitiba que o considerou culpado por ilegalidades cometidas na contratação de funcionários no Legislativo. Bibinho foi condenado a 23 anos, 3 meses e 29 dias de reclusão e a 205 dias-multa.
Ele já havia sido sentenciado no mesmo processo, em 2014, a uma pena menor: 18 anos e 11 meses. Contudo, em 2015, o Tribunal de Justiça do Paraná anulou a condenação acatando o argumento de que houve cerceamento de defesa.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.